Bola Colorida - Intercultural de Futebol de Rua

Objetivo: 
2 500 €
Prazo limite: 
09/08/2019 - 18:00
Localização: 
Lisboa, Portugual

Sobre o projeto

Projeto Bola Colorida - Intercultural Futebol de Rua

O projeto Bola Colorida utiliza a modalidade Futebol de Rua para promover o diálogo intercultural, a inclusão e capacitação de crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social, residentes na Grande Lisboa.

Esta campanha destina-se a financiar o Estágio de Futebol de Rua Bola Colorida, previsto para 2 a 6 de setembro de 2019, em Santa Cruz (Torres Vedras). É uma atividade residencial, que envolve 25 jovens de meios socialmente excluídos e provenientes de diversos contextos culturais, e que tem os seguintes objetivos:

  • Promover o desenvolvimento pessoal e sociocultural dos jovens participantes;
  • Capacitar para a autonomia, liderança e cidadania ativa;
  • Promover hábitos de valorização, responsabilização e proteção ambiental;
  • Estreitar os laços comunitários e promover a interculturalidade.

Os jovens participantes ficarão alojados em forma de campismo no espaço Ex-Karting Santa Cruz (gentilmente cedido pela Câmara Municipal de Torres Vedras) e, ao longo do dia, realizarão atividades tanto na mata como na praia de Santa Cruz:

  1. Futebol de Rua na Praia: tudo igual ao futrua, mas agora na praia :)
  2. Ploging: caminhadas pela mata e pela praia com apanha de lixo, para consciencializar para as questões ambientais e atuar na preservação da natureza;
  3. Fazer do Lixo Arte: criar objetos artísticos utilizando o lixo recolhido utilizando como principal temática o respeito pela biodiversidade animal e vegetal;
  4. Teatro Fórum: capacitar para a consciencialização e pensamento crítico, através da organização e debate dos problemas; formar sujeitos sociais que possam fazer-se veículo multiplicador da defesa dos direitos e cidadania;
  5. Atelier para uma Alimentação Sustentável: promover uma alimentação mais saudável e ambientalmente responsável, na compra e confeção dos alimentos, para uma maior literacia alimentar;
  6. Yoga na Natureza: relaxamento e meditação em comunhão com a natureza;
  7. Incubadora de Ação: desenhar ações/campanhas concretas, aplicáveis nos contextos dos bairros em que os participantes vivem, que visem melhorar aspetos nas suas vidas pessoais, mas também nas vidas dos que os rodeiam.

Os jogadores do Bola Colorida são jovens que vêm de diversos lugares:

  • Do bairro da Horta Nova (Carnide), em que a população é maioritariamente cigana, de ascendência africana e portuguesa, e que revela dificuldades de miscigenação, diálogo e cooperação, devido a barreiras culturais, sociais e territoriais. A maioria da população é socioeconomicamente vulnerável, com baixas qualificações e sem enquadramento parental positivo. Diagnosticam-se déficits de ocupação infantojuvenil e um número considerável de jovens em situação de desocupação, conflitos interculturais, estigmatização, isolamento territorial e necessidade de utilização positiva do espaço público.

  • Da Quinta do Cabrinha (Alcântara), cujos habitantes são maioritariamente pessoas realojadas do antigo Casal Ventoso e que sofrem ainda hoje de fraca coesão comunitária e guetização do território. Altas taxas de marginalidade e de desemprego e baixos níveis de escolaridade dão origem uma fraca supervisão parental sobre as crianças, que desenvolvem estilos de vida sedentários, maus hábitos alimentares e o uso precoce de drogas. Nas ruas assiste-se a comportamentos violentos entre os moradores e com os visitantes, bem como a vandalização do espaço público.

  • De outras comunidades, as chamadas minorias, que sofrem de exclusão social; refugiados/as, sem abrigo, jovens detidos em centros educativos, vítimas de violência doméstica, imigrantes ou comunidades cigana e LGBTI+ continuam a ser vítimas de discriminação, com falta de acesso a oportunidades e direitos, com condições de vida muito precárias e em permanente conflito, social e cultural.

Futebol de rua: ferramenta para a inclusão!

O Futebol de Rua é uma modalidade mundialmente conhecida pelos seus fins sociais. São mais de 100 organizações, as que a utilizam como instrumento de desenvolvimento social. Beneficiando de regras internacionais determinadas pela FIFA, tem como base a metodologia “Futebol3”, em que o treino se organiza em três tempos - reflexão pré-jogo, treino e jogo e reflexão final. A ferramenta permite, nos beneficiários, abordar aspectos dos seus comportamentos e atitudes, através do estabelecimento de paralelos entre as situações vivenciadas em campo e na vida quotidiana, pessoal e social. Alia, ao treino físico e motor, o treino de competências pessoais e sociais, permitindo a diminuição da violência, da indisciplina e do insucesso escolar, bem como dos estigmas sociais. Provoca o desenvolvimento comunitário, a auto-organização, o fortalecimento de lideranças, de práticas colaborativas e do diálogo intercultural. Através do futebol de rua capacitam-se líderes, organizações e grupos sociais para a auto-organização e emancipação, bem como estabelecem-se novas sinergias interculturais, para uma sociedade mais coesa, inclusiva e aberta à diversidade.

Resultados já alcançados

O Bola Colorida teve o seu início em outubro de 2018 e, seguindo uma experiência com mais de dez anos da ANFR na utilização do futebol de rua enquanto ferramenta para a inclusão, já alcançou resultados positivos, permitindo a capacitação, auto-organização, cidadania ativa e desenvolvimento do diálogo intercultural das pessoas e comunidades intervencionadas.

  • Inclusão através do futebol

A participação no Bola Colorida tem permitido, às crianças e jovens da Quinta do Cabrinha e da Horta Nova, desenvolver competências motoras, através do desenvolvimento da sua literacia física e melhoria dos seus hábitos de vida, bem como de cidadania, com o reforço das suas identidades, maior noção dos seus direitos e deveres, aumento da sua autonomia e participação. O desenvolvimento destas competências contribui para uma maior qualidade de vida do nosso público alvo, no presente e nas suas vidas futuras, e uma maior inclusão nas suas comunidades e na sociedade em geral. Assim, observa-se um fortalecimento comunitário, com maior interconhecimento, troca de experiências e diálogo intercultural.

  • Acesso ao desporto

Graças ao acesso à prática desportiva, os participantes do Bola Colorida têm beneficiado de uma melhoria da sua saúde física e mental, bem como da sua literacia física, do desenvolvimento sociomotor e da destreza física. A promoção de hábitos de vida saudáveis realizada ao longo dos treinos aumentam, nos nossos beneficiários, a sensação de bem estar, enfatizando-se a gestão do stress e da ansiedade, a coordenação e estabilidade motora, diminuindo ao mesmo tempo a agressividade e os níveis de obesidade.

  • Impacto social

O Bola Colorida tem tido um impacto social positivo nas comunidades em que tem intervido. Encontros interculturais de futebol de rua têm promovido formas de relacionamento interpessoal positivas, gestão de conflitos, gestão da diversidade, promoção de comportamentos não discriminatórios/aceitação da diferença. Aumentou a empatia e a solidariedade, para uma maior coesão social conseguida através de melhores relações interpessoais e com as instituições.

Créditos vídeo: Realização - Pedro Mesquita; Edição - Pedro Valente; Animações - Francisco Correia.

Sobre Associação Nacional de Futebol de Rua

O Bola Colorida é um projeto de intervenção comunitária, promovido pela Associação Nacional de Futebol de Rua (ANFR) em estreita colaboração com a Academia Cidadã (AC).
A ANFR é uma associação privada de solidariedade social sem fins lucrativos, sediada em Lisboa e que utiliza o futebol de rua como estratégia para a inovação social, através da intervenção sociopedagógica e cultural com os objetivos de promover o desenvolvimento humano e a inclusão social dos cidadãos.
A AC é uma associação sem fins lucrativos, sediada na Quinta do Cabrinha, em Alcântara, e que tem por objetivo impulsionar a cidadania ativa e a construção de raízes de desenvolvimento com princípios de sustentabilidade social, económica e ambiental. A sua ambição é empoderar pessoas e organizações no exercício do aprofundamento da democracia.

Orçamento e prazos

Temos já garantidos alguns apoios não financeiros para realizar esta atividade. A Câmara Municipal de Torres Vedras oferece a estadia, o Pingo Doce oferece a alimentação. Por isso, precisamos de financiar os seguintes gastos:

  • Transporte dos participantes - € 500
  • Equipa organizadora, formadores e treinadores - € 1700
  • Economato e promoção e divulgação do projeto - € 300

Imagens