Sem água não há vida - Poço para toda a Namaacha

Muito obrigado pelo seu contributo. Este projeto já se encontra financiado a 100% devido ao envolvimento da sociedade civil.
Contudo, encontram-se ainda em aberto outros projetos a necessitarem da sua generosidade, pelo que ainda tem possibilidade de poder contribuir para outra causa através do NOVO BANCO Crowdfunding.
Instituição: 
Objetivo: 
5 000 €
Terminado a: 
11/11/2019
Localização: 
Namaacha, Moçambique

Sobre o projeto

O distrito da Namaacha, parte da província de Maputo, encontra-se no Sul de Moçambique, fazendo fronteira com a Suazilândia e a África do Sul. Apesar de ser uma localidade que dá o nome à água engarrafada comercializada em grande parte de Moçambique, Namaacha encara uma realidade cruel em que a maior parte dos habitantes deste distrito: dos 43 mil habitantes contados no último censo de 2007, só 60% tem algum acesso a água vinda de fontes ou de sistemas de abastecimento. O recenseamento sociodemográfico de 2007 explica que 31% da população da Namaacha depende de rios e lagoas para obter água, e outros 30% dependem de fontes e poços com ou sem bomba. Só 12% das pessoas beneficiam de água canalizada nas suas casas. Fontes de abastecimento de água como poços subterrâneos superficiais, rios, lagoas e cascatas sofrem todos do mesmo problema: uma dependência de chuvas e de condições climatéricas favoráveis. Os últimos anos têm sido cada vez mais secos para a Namaacha, dificultando a vida de muitas familias. Para de algum modo ajudar a comunidade em volta das casas das irmãs, pedimos ajuda para fazer um furo de água no terreno do Noviciado, a casa de formação das irmãs que se encontra junto ao colégio.

Em 2019, o colégio Maria Auxiliadora que as irmãs trabalham na Namaacha acolhe 94 meninas órfãs ou desfavorecidas, e a Escola Maria Auxiliadora (adjacente ao colégio e também sob a tutela das irmãs) ensina 1400 alunos do 1º ao 12º ano. A obra das irmãs conta, no total, com 8 casas e centros de apoio à comunidade espalhadas por Moçambique, todas focadas na promoção e educação da criança Moçambicana. A casa do noviciado das irmãs está neste momento sem água para as casas de banho, cozinhas ou machamba. As irmãs vão encher biombos e garrafões de água ao colégio para encher o seu tanque e conseguir assegurar o funcionamento mínimo da casa. A machamba está a produzir cada vez menos a cada ano, e 4 das 9 casas das irmãs contam com o seu funcionamento para se alimentarem. Para além do mais, os frutos e vegetais vendidos a partir da machamba das irmãs contribuem para o sustento e alimentação da população à sua volta. Para além da casa do noviciado os bairros circundantes ao colégio e às casas das Irmãs dependem do mesmo furo dos colégios e em outras circunstâncias similares, as irmãs estabeleceram um horário para a recolha de água, e os habitantes deslocavam-se às suas casas consoante a sua necessidade. Isto cria uma consistência que permite a planificação e gestão tanto da vida quotidiana como económica dos residentes que poços abastecidos só pelas chuvas ou a água do município não podem oferecer. Por muito que nenhum furo possa substituir uma época de chuvas saudável, a previsibilidade que traremos a alguns membros desta comunidade poderá permitir um planeamento modesto, mas realista, do que será possível cultivar.

Sobre Nome: Amigos de Inharrime Portugal

A Associação Amigos de Inharrime - Portugal (AIP) é uma associação sem fins lucrativos, reconhecida como ONGD pelo Instituto de Camões, fundada em Agosto de 2015, que apoia e promove o desenvolvimento da comunidade de Inharrime, através do Centro Laura Vicuña e da comunidade de Namaacha, através do Colégio Maria Auxiliadora, ambas em Moçambique. Tem como principal foco as crianças e a sua felicidade.
Cumprindo um sonho já antigo de alargar os laços de solidariedade entre Portugal e Moçambique, e com o impulso da Irmã Lucília, a AIP foi fundada, acreditando que para cada criança existe um futuro.
A AIP é constituída por antigos voluntários, amigos e padrinhos de longa data que mantiveram sempre os laços afetivos com o projeto de desenvolvimento do Centro Laura Vicuña e que colaboram voluntariamente.
Para mais informações acerca da Associação e sua equipa consultar: www.amigosinharrime.pt

Orçamento e prazos

O nosso objetivo é angariar 5.000 euros através desta plataforma, para contribuir para os 12.000 euros necessários para a construção do furo! O orçamento foi-nos feito por uma empresa local com quem já trabalhámos em projetos anteriores.
Caso não alcancemos os 12.000€, o valor angariado reverterá na totalidade para bolsas universitárias de meninas internas do Colégio Maria Auxiliadora.
Se o montante angariado for inferior ao objectivo fixado, o dinheiro angariado é devolvido aos apoiantes, podendo cada apoiante decidir fazer o donativo mesmo que o objetivo não seja alcançado.
As recompensas que pretendemos oferecer a quem apoia esta causa estão relacionadas com o colégio, pois as malas de capulana e os blocos de notas são feitos por pessoas que trabalham no colégio, da comunidade de Namaacha. As capulanas e os cajus são também de Moçambique pois são os voluntários que trazem consigo quando existe essa disponibilidade. Todas as recompensas são oferecidas segundo o valor contribuído e incluem os custos do envio.

Imagens